14/08/2017

 

Curso de especialização em Libras atua para a inclusão escolar no Piauí

Por Daiane Rufino e Carina Rodrigues

Curso de Libras

As políticas públicas de educação devem viabilizar continuamente a inclusão de pessoas com deficiência no ambiente escolar e propiciar a elas o direito a formação. Nesta perspectiva, o curso de especialização em Língua Brasileira de Sinais – Libras do Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual do Piauí – NEAD/UESPI vem colaborando para a formação de professores capacitados para o atendimento à comunidade surda piauiense, respeitando a complexidade linguística verificada no cotidiano das escolas.

Um dos alunos do NEAD, Cláudio Pereira, graduado em Licenciatura Plena em História optou por fazer a especialização em Libras através do NEAD. Ele explica que a qualificação proporcionada pelo curso contribuiu para alterações importantes em sua vida profissional e pessoal. “Eu sempre tive vontade de entender a língua dos sinais, até que criei coragem e resolvi fazer a especialização, hoje eu me sinto mais abrangente com meus alunos e com os meus primos que tem deficiência auditiva, em algum momento todos nós vamos ter que lidar com um deficiente auditivo e a melhor forma de incluí-lo é estar preparado”, ressalta Cláudio Pereira.

Conforme explica a coordenadora do curso de Libras do NEAD, professora mestra Joselita Isabel de Jesus, este curso de especialização começou há dois anos na Universidade Estadual do Piauí, o projeto foi elaborado pelo pró-reitor de Administração da UESPI, Raimundo Isídio em 2014 e se efetivou em 2015. “Mesmo com pouco tempo já foi possível formar 324 profissionais preparados para atender a grade da educação básica”, diz Joselita.

Coordenadora do curso de libras

Coordenadora do curso de especialização em Libras com a professora orientadora de TCCs do Polo de União.

No ano de 2005, o decreto Nº 5.626 da presidência da República tornou Libras disciplina curricular obrigatória nos cursos de formação de professores para o exercício do magistério em nível médio e superior, exigindo assim que os estados brasileiros formem docentes habilitados para ministrar aulas e compreender melhor o aluno com deficiência auditiva. “O ensino de Libras garante dessa forma o atendimento educacional especializado a estes alunos, de maneira que eles possam interagir, experimentar as informações recebidas junto aos ouvintes para entendê-las e expandi-las nos diferentes níveis de ensino”, argumenta a coordenadora Joselita.

Curso de Libras na modalidade a distância

A oferta do curso de Libras na modalidade a distância facilita para aqueles alunos que não podem estar presentes na sala de aula diariamente, mas precisam de disponibilidade para executar as atividades feitas via plataforma digital. Os encontros presenciais acontecem todos os meses nos polos de EAD.

O ensino da LIBRAS deve receber cada vez mais incentivo e principalmente ser incentivada pelos educadores, não apenas nas instituições escolares, como também na sociedade como um todo, promovendo assim, a melhoria da qualidade de vida dos surdos, assegurando os direitos como cidadão, descrito na Constituição e o respeito para com todas as diferenças, afinal, ser diferente é normal.Nesse ano de 2017 foram ofertadas duas turmas, uma para Teresina e outra pra Piripiri. De acordo com a coordenadora do curso Joselita Isabel, desde que o projeto começou o número de alunos interessados em aprender a língua de sinais tem crescido. “Nós tivemos quase 873 candidatos, uma concorrência gigantesca que pode ser comparada a de um concurso público para um Tribunal Federal dado a importância do curso, além dos professores de todas as disciplinas a libras é também necessária para a área da assistência social, psicologia e a todos os profissionais que lidam diretamente com um deficiente auditivo", conta.

 

Assessoria de Comunicação NEAD/UESPI/UAB

ascom.nead@gmail.com

 

Comunicados